fbpx

Equipe Private Idiomas

20 maio 2020

Nenhum comentário

Casa Sem categoria

A importância do idioma ALEMÃO no mercado de trabalho

A importância do idioma ALEMÃO no mercado de trabalho

Há uma quantidade enorme de boas razões para aprender uma língua estrangeira. Mas a principal motivação para aprender idiomas continua sendo a profissional. Por isso selecionamos quais idiomas são mais os importantes, profissionalmente.

Já falamos sobre a importância do inglês no texto anterior e hoje vamos falar sobre o idioma alemão.

Estudar uma língua estrangeira é despertar a curiosidade, é mergulhar em um novo país, em uma cultura diferente. Aprender abre a sua mente, mas também pode ajudá-lo a trabalhar fora do país e explorar novos territórios.
Para isso, antes de mais nada é preciso decidir qual idioma você quer conhecer! E isso vai depender dos seus objetivos de vida, claro.

Falar várias línguas tornou-se uma das competências mais úteis no mercado de trabalho. Quais são, então, os idiomas mais importantes?
O inglês, mesmo sendo uma espécie de língua franca falada em todo o mundo nos dias de hoje, não é suficiente para quem deseja se comunicar em todos os ambientes de trabalho (em particular, em setores como indústria, turismo ou comércio internacional).

As “top 10” línguas nativas mais faladas no mundo, tirando o chinês (que compreende o conjunto das 12 línguas faladas na China), são: espanhol, inglês, árabe, híndi, bengali, português, russo, japonês e alemão.

O alemão também é a língua mais falada na Europa, com 18 % dos cidadãos da União Europeia falando alemão como língua materna. É claro que a Alemanha é um dos pesos pesados da economia e exportador massivo, desde mercadorias de produtos farmacêuticos à carros. Os alemães estão entre os turistas mais ativos do mundo, surgindo uma ampla oportunidade para pessoas de língua alemã em todo o mundo que trabalham com turismo. Outro motivo? Suíça, onde o alemão é falado, tem um dos melhores padrões de vida no mundo.

Por incrível que pareça, o alemão ainda desponta com mais oportunidades que o chinês – e isso acontece por dois motivos. O primeiro deles é, sem dúvida, o tamanho da colônia alemã no Brasil. O jornal alemão Deutsche Welle calcula que, dos 4,5 milhões de europeus que migraram da Europa para o país nos séculos 19 e 20, ao menos 5% era alemães – ou seja, 225 mil. De lá pra cá, o número de descendentes em solo brasileiro chegou a 5 milhões.

Outro fator importante é que há ao menos 1.200 empresas alemãs operando no Brasil – esse, na verdade, é apenas o número de organizações ligadas à Câmara de Comércio. Mais do que isso, São Paulo é o maior polo industrial que concentra empresas alemãs fora da própria Alemanha – estima-se que ao menos 800 empresas alemãs estejam localizadas na cidade e no seu entorno gerando, juntas, mais de 250 mil empregos diretos. Ou seja, há muita oportunidade para quem quer usar o alemão como uma segunda ou terceira língua.

Duas das indústrias que mais exigem a fluência no alemão são a indústria automobilística e também o setor de gás. Há também no Brasil empresas de tecnologia alemãs, que vieram ao país justamente para atender as montadoras. Nelas, o conhecimento do alemão também é um grande diferencial.

Geralmente a exigência da língua está associada a cargos especializados e ligados à profissões como: engenharia, desenvolvimento de sistemas, gestão de projetos, secretariado, entre outros. Estudantes de tecnologia e engenharia podem conseguir realizar um excelente intercâmbio na Alemanha caso tenham alguma fluência na língua.

Portanto, o alemão pode ser um diferencial interessante na carreira de quem busca crescer no mercado de trabalho, e alçar outras posições. Frequentemente, em empresas de origem alemã, os altos executivos tem conhecimento da língua – e isso sempre será um diferencial positivo na hora de conquistar uma vaga.

Aqui na Private nossos professores te esperam para dar início às suas aulas, ou então para fazer uma aula experimental!

#german
#alemao
#idiomas
#languages
#blog
#aprendaidiomas
#learnlanguages

Texto equipe Private, por Carla Batistel Zaniol

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 × dois =